terça-feira, 11 de novembro de 2008

"Beleza"

Diante dos nossos olhos está quem nos parece perfeito!!!

1 comentário:

Dulcicat & Co disse...

POEMA DA ÁGUA (Poeta popular de Loriga)
A água é o sangue da terra,
Que corre nas suas veias.
Por vezes, secas
E por vezes, cheias.

Quando ela é abundante,
Ela vem ter ao riacho.
Com o sol se torna brilhante.
Ao vê-la correr para baixo.

A água do mar é salgada.
Que serve para temperar.
Por vezes ele se torna amarga,
Para quem nela vai pescar.

A água deve ser poupada.
Quando ela não é abundante.
Não custa nada…
É fechar a torneira, num instante.

A natureza é bela
Porque a água nos oferece.
Temos que estimá-la
Porque ela bem o merece.

Temos que compreender,
Tratar a água com ternura,
Para termos para beber,
Sempre, sempre , com fartura.

04-06-2008
António Fernandes Conde – Natural e residente em Loriga